sábado, 11 de fevereiro de 2012

DICA DE SEGURANÇA NO TRANSPORTE ALTERNATIVO

Todos os dias milhões de pessoas utilizam o transporte público para se locomoverem de suas casas para o trabalho, escola, faculdade, etc. Entre as já conhecidas deficiências do transporte público no Brasil, uma que chama mais a atenção, e com certeza está entre as primeiras preocupações da população, é a falta de segurança neste tipo de transporte.

Quem nunca foi vítima ou conhece alguém que já foi furtado e/ou assaltado no transporte coletivo?

Esta situação, talvez, seja uma novidade para os poucos que nunca dependeram do transporte público, mas é certamente uma realidade preocupante para os milhões de brasileiros que todos os dias utilizam deste meio de transporte.

Em função da facilidade e volume de dinheiro que circulavam no transporte coletivo urbano das cidades, uma onda de assaltos neste tipo de transporte tomou conta do país já há alguns anos. Em resposta a este tipo de crime, as empresas de transporte coletivo iniciaram uma série de medidas para minimizar este tipo de incidente, como a implantação do vale-transporte (reduzindo o volume de dinheiro no coletivo), monitoramento de frota com botão de pânico, câmeras de segurança, etc. Todas essas ações foram fundamentais para diminuição do número de assaltos e furtos no transporte, porém ainda assim os bandidos viram no próprio cidadão uma oportunidade, pois este, muitas vezes distraído pelas preocupações do dia a dia (trabalho, estudo, contas, etc.) não se preocupou em mudar seu comportamento para também dificultar e deixar de ser um atrativo para os bandidos. Desta forma, apesar da incidência pelas ações de segurança, ainda é muito comum os assaltos e furtos ocorridos no transporte público.

Com a atuação da segurança pública aliada aos investimentos em tecnologias de segurança realizados pelas empresas de transporte coletivo podemos dizer que houve uma redução significativa neste tipo de roubo, todavia os números ainda são preocupantes.

Para se ter um exemplo, veja abaixo os números sobre assaltos e furtos no transporte público do Rio de Janeiro divulgados pelo site da revista Veja no mês de Agosto deste ano:

Primeiro semestre de 2009 = foram 3.164 casos.

Primeiro semestre de 2010 = foram 2.335 casos.

Primeiro semestre de 2011 = foram 2.039 casos.

Uma queda de 35,6% em apenas dois anos.

Devo lembrar que a maioria dos casos de pequenos furtos (mp3, celular, dinheiro, etc.) ocorridos no interior do coletivo, onde o usuário na maioria das vezes só percebe após chegar em casa ou no trabalho, estes não são registrados junto à Polícia pelo fato do cidadão achar que não vale a pena. No entanto a falta destes registros, por menos importante que pareça, ocultará o índice real deste tipo de ação dos marginais, bem como uma possível ação por parte da Polícia na coibição e repressão deste tipo de delito.

Para qualquer tipo de risco à nossa segurança, costumo dizer que há uma ação ou comportamento que podemos realizar para minimizar a chance deste risco se concretizar. Para isso, listei abaixo algumas orientações que poderão contribuir com a segurança dos nossos leitores.

Preparação:

● Antes de sair de casa, tenha um planejamento do seu trajeto diário (ida e volta);

● Tenha a lista com os horários dos ônibus ou trens/metrôs, evitando ficar muito tempo aguardando o transporte;

● Para saída ou retorno no período noturno o melhor é combinar com algum familiar para fazer o acompanhamento até o ponto do coletivo ou para buscá-lo em seu retorno;

● Evite carregar grandes quantias de dinheiro na bolsa ou carteira. Se for realmente necessário, procure dividir o valor em quantias menores guardando em bolsos diferentes;

● Procure separar antecipadamente o dinheiro necessário para pagar sua passagem, evitando assim ter que abrir a carteira ou bolsa dentro do coletivo. Desta forma você evita expor seus pertences (quantia em dinheiro, cartões de crédito, etc.);

● Evite andar com jóias de valor (pulseira, anéis, cordão, etc.), pois você se torna um atrativo para os marginais;

● Não utilize o celular ou carteira no bolso de trás da calça.

Ponto de embarque:

● Ao aguardar pelo transporte, evite conversar com pessoas estranhas sobre seu local de trabalho, hora de entrada e saída, etc, ou mesmo conversar com um amigo sobre estes assuntos, de maneira que outras pessoas estranhas ao seu convívio estejam ouvindo;

● No período noturno, procure esperar pelo transporte público em locais bem iluminados e sempre próximo a outras pessoas. Evite ficar sozinho e em locais isolados, pois estes lugares facilitam a ação de bandidos;

● Durante a espera do coletivo ou mesmo dentro dele, fique sempre atento e desconfie de pessoas que provoquem esbarrões desnecessários, pois esta é uma tática utilizada por alguns marginais para cometer furtos sem que a pessoa perceba;

● Mantenha a bolsa segura e firme na frente do corpo.

No transporte:

● Evite abrir a carteira ou bolsa dentro do coletivo ou em locais públicos;

● Procure ficar sempre atento e mantenha contato visual com as pessoas ao seu redor, pois uma vez percebido que você está atento, o bandido evitará a tentativa de furto com você;

● Procure não cochilar/dormir dentro do coletivo, pois muitos bandidos se aproveitam deste momento para cometer pequenos furtos (mp3, celular, relógio, carteira, notebook, etc.);

● Sua bolsa deve estar sempre à frente do corpo e se possível com uma das mãos fazendo a proteção sobre ela. Você nunca deve carregar sua bolsa ou mochila de lado ou pendurada nas costas;

● Ao utilizar ônibus bi-articulado (ônibus-sanfona - equivalente a três ônibus convencionais) ou metrô no período da noite, você deve evitar viajar em vagões vazios;

● Evite sentar próximo à porta de embarque e desembarque para não se tornar um alvo fácil para marginais;

● Em caso de assalto, evite encarar ou olhar diretamente nos olhos do bandido e mantenha sempre a calma;

● Em ônibus de viagem (interurbano), procure colocar sua bolsa/mala no bagageiro superior do lado oposto ao seu, de forma que você possa vê-la caso alguém tente mexer;

● Informe ao motorista ou ao cobrador sempre que perceber alguma atitude suspeita.

Para finalizar, gostaria de deixar mais uma observação muito importante: os órgãos de segurança pública trabalham com dados estatísticos para planejar suas ações de prevenção, por isso se você foi furtado ou conhece alguém que passou por uma situação parecida, é muito importante que não deixem de registrar o boletim de ocorrência, mesmo para os pequenos casos. O registro pode ser realizado em qualquer posto de atendimento da Polícia ou mesmo, dependendo do caso, pode ser feito pela internet .

Lembre-se, você também é responsável pela sua segurança, por isso se informe e fique sempre atento!

*Carlos Rodrigues Costa, Autor do DicaSeg, Consultor e Gerente de segurança Empresarial.




Blog da Força Tática


0 comentários: